Bibliotecas na luta contra as fake news

Autoria: ComunidadBaratz
Tradução: Tatiani Meneghini

“A Biblioteca Nacional vende sua sede e passa a funcionar 100% online”, “Os arquivos do país serão gestados em sua totalidade por voluntários em 2020”. Já se deram conta das mentiras das notícias citadas anteriormente? Se não, afirmamos: são totalmente falsas. O artigo trata das notícias falsas que circulam pela internet, as fake news e como podemos nos prevenir.

 

Fake news ou notícia falsa é uma tentativa de fazer com que um grupo de pessoas creia em algo falso, tornando-a real. Nesse contexto, também se coloca fortemente a palavra “pós-verdade” (eleita como palavra do ano pelo Dicionário Oxford), um neologismo que descreve a situação na qual, no momento de criar e modelar a opinião pública, os fatos objetivos têm menor influência que as apelações das emoções e crenças pessoais. Agora, como as bibliotecas podem lutar contra isso?

Bibliotecas: espaço de formação de cidadãos

Sem dúvida, a luta das bibliotecas contra as fake news é uma luta desigual. Mas pode ser que a solução não esteja em lutar diretamente contra elas, e sim em formar pessoas capazes de identificá-las. Quantas vezes recebemos mensagens de  credibilidade duvidosa no Whatsapp e desejamos compartilhá-las com todos nossos contatos? Quantas vezes vemos uma notícia pelo Facebook que nos surpreende por ser tão difícil de acreditar? Na maioria das vezes, o que impera sobre esse tipo de notícia é a desinformação e o clique rápido, seja para ganhar dinheiro ou salvar nossos dados. [Um inciso: É importante diferenciar o que é uma notícia falsa de uma notícia satírica, como são as publicadas no El Mundo Today e O Sensacionalista).

Tiscar Lara (Diretora de Comunicação da EOI) comenta em um post de seu blog:

Sobreviver neste mundo hiperconectado requer uma disposição de forte atitude ascética frente à informação que chega até nós, tais como a habilidade de discernimento e ferramentas de verificação que estejam a nosso alcance para navegar entre as informações falsas e as manipulações.

Nas palavras de Tim Cook (Conselheiro Delegado da Apple), em uma entrevista realizada pelo portal TICbeat sobre as fake news:

As notícias falsas destroçam a mente da gente. […] Todas as empresas de tecnologia deveriam criar ferramentas que ajudassem a diminuir o volume de notícias falsas. […] Necessitamos reinventar a função de auxiliar o público, com a vontade de todos, somos capazes.

A polícia espanhola tratou de desmentir algumas notícias falsas e que geram desinformação através das redes sociais. Nesse sentido, existem sites que tratam de evidenciar as notícias falsas e informam a todos sobre a fraca veracidade ou a alteração da realidade. Sites como La Buloteca, Vost-StopBulos, Snopes, FactCheck, o buscador Hoaxy, e até mesmo extensões do Google Chrome, são elaboradas para identificar notícias falsas (B. S. Detector).

Sem título.png

Fonte: Twitter, 2017.

 

As bibliotecas têm muito que fazer em relação à alfabetização. Torna-se necessário planejar programas de formação informacional para o exercício da cidadania. O objetivo é claro: ajudar as pessoas a identificarem informações falsas que chegam por distintos meios e a desenvolverem o pensamento crítico. Caso seja de utilidade, há um tempo tratamos nesse blog sobre como saber se uma fonte de informação é confiável ou não, e também sobre as buscas no Google e a necessidade de formação das pessoas nas bibliotecas.

Os 8 passos para identificar uma notícia falsa

A IFLA (Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias) também está criando medidas para combater as fake news. Recentemente, elaboraram um infográfico e traduziram a diversos idiomas para que a mensagem se espalhe e as bibliotecas divulguem em suas comunidades.

O pensamento crítico é uma habilidade chave na alfabetização dos meios de comunicação e de informação, a missão das bibliotecas é educar e defender sua importância.

As discussões acerca das notícias falsas leva a um novo foco na alfabetização dos meios de comunicação tornando mais amplo o papel das bibliotecas e de outras instituições educativas.

O referido infográfico destaca 8 passos essenciais para saber identificar uma notícia falsa:

  1. Estude a fonte. Pesquise mais: site, objetivos e informações de contato.
  2. Leia mais. Um título impactante pode capturar sua atenção, mas qual é o texto completo?
  3. Quem é o autor? Faça uma busca rápida sobre o autor. É confiável? É real?
  4. Fontes adicionais. Abra as páginas e comprove se há dados que concordam com a informação publicada.
  5. Verifique a data. Publicar notícias velhas não significa que sejam relevantes atualmente.
  6. É uma brincadeira? Se é muito extravagante pode ser uma sátira. Investigue o site e o autor.
  7. Considere os argumentos. Tenha em conta que suas crenças e seus valores podem alterar sua opinião sobre algo.
  8. Pergunte a um especialista da área. Consulte um bibliotecário ou um site de verificação.

fake-news-combo

Fonte: IFLA,2018 .

O que fazer quando uma notícia é duvidosa

Para terminar, gostaríamos de destacar o artigo publicado no El Periódico: “Manual para descobrir se uma notícia é falsa”, apresentando os dez pontos importantes para combater as informações falsas:

  • O primeiro a se fazer: NÃO compartilhar.
  • Leia os comentários da notícia. Pode ser que alguém já a tenha desmentido.
  • Copie a imagem da notícia e busque em Google Imagens. Essa ação recolhe resultados caso a imagem tenha sido utilizada em outro site previamente com uma história completamente distinta.
  • Veja se o site que compartilha a notícia é um meio confiável.
  • Leia outras notícias que são divulgadas no meio para averiguar seu tom geral, se costuma ser verossímil ou duvidosa.
  • Busque quem assina essa informação e busque mais informações sobre seu autor.
  • Compare com outros meios para ver se comentaram a notícia.
  • Revise as citações de fontes oficiais. Comprove se realmente querem dizer o que a notícia colocou.
  • Se você detectar que é uma notícia falsa, recorra aos meios sociais, basta reportá-la como “spam” ou informação falsa.
  • Se ainda assim não está claro, revise se a notícia aparece na web como fake news.

 

O texto original foi publicado pela ComunidadBaratz.


Um comentário sobre “Bibliotecas na luta contra as fake news

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s